Press "Enter" to skip to content

Plantão News: Perspectivas para BRF, Banrisul e Eletrobras; Azul e CSN no radar

Confira os principais destaques corporativos do pregão desta terça-feira na B3 (Foto: Shutterstock)

O Ibovespa operava em alta nesta tarde de terça-feira (8), com o otimismo dos investidores em relação às vacinas contra a Covid-19 prevalecendo, apesar da instabilidade no exterior diante do aumento do número de casos de infecção pelo vírus. O anúncio de que o Reino Unido e a União Europeia fecharam acordo pós-Brexit e a informação de que a nova minuta da PEC Emergencial não contempla flexibilização da regra do teto de gastos repercutem no mercado.

—> Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito, todos os dias, em seu e-mail

A seguir, leia os principais destaques corporativos do pregão desta terça-feira:

BRF: A BRF (BRFS3) estima realizar investimentos de R$ 55 bilhões nos próximos 10 anos,
com o estabelecimento de limite prudencial de alavancagem financeira líquida de
até 3 vezes, informou a empresa em comunicado ao mercado.

Azul: A Azul (AZUL4) divulgou suas prévias operacionais do mês de novembro, quando registrou aumento de 17,5% na demanda de passageiros por voos (RPK) em relação a outubro. Na comparação com novembro de 2019, houve uma queda de 30% no indicador. A oferta de assentos (ASK) cresceu 12,2% no mês passado na comparação com outubro, e caiu 30,6% em relação a novembro do ano passado. Assim, a taxa de ocupação saiu de 79,3% para 83,1% em um mês. Um ano atrás, esta taxa foi de 82,4%.

CSN: A CSN (CSNA3) vislumbra resultados positivos para o próximo ano, com estimativa de alta de 8% no consumo aparente de aço plano e aumento de 12% nas vendas próprias, segundo o Valor Econômico. Luiz Fernando Martinez, diretor-executivo comercial da companhia, diz que os pedidos em carteira até abril chegavam a 1 milhão de toneladas de aço vendidas.

Eletrobras: O BTG Pactual iniciou cobertura das ações da Eletrobras, com recomendação de “compra” e atribuindo um preço-alvo em 12 meses de R$ 57 para as ordinárias (ELET3) e de R$ 63 para as preferenciais classe B (ELET6), em “uma das mais atrativas relações de risco-retorno sob nossa cobertura”. Na visão dos analistas, o potencial de valorização seria ainda maior – de mais de 100% – em caso de uma eventual privatização da estatal elétrica.

Ultrapar: A rede de postos de gasolina Ipiranga, controlada pela Ultrapar (UGPA3), fechou mais de 500 lojas de conveniência da bandeira AmPm nos últimos meses, dentro de uma estratégia para melhorar a rentabilidade da operação, segundo informação do Valor Econômico.

XP: A XP Inc. anunciou o encerramento da oferta subsequente de ações (follow on) realizada pela própria companhia e pelo Itaú Unibanco. No total, foram vendidas 31.654.894 papéis, ao preço unitário de US$ 39. Assim, a operação movimentou US$ 1,234 bilhão.

Ame: A Ame, fintech que pertence à Lojas Americanas (LAME3) e B2W (BTOW3), adquiriu a Bit Capital, plataforma de open banking. Os valores não foram divulgados.

Iguá Saneamento: A Iguá Saneamento pediu o registro para realizar uma oferta pública inicial de ações junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A operação terá distribuição primária, em que os recursos vão para o caixa da empresa, e secundária, em que atuais acionistas vendem ações.

Oi: A operadora Oi (OIBR4) contratou a consultoria Egon Zehnder para iniciar um processo de avaliação de seu conselho de administração. A Oi lembra que firmou o compromisso de realizar esta avaliação em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de 16 de outubro.

Banrisul: A equipe do BB Investimentos atualizou as estimativas para o Banrisul (BRSR6), lançando novo preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 18 por ação, com recomendação de “compra”, o que sugere potencial de ganhos de cerca de 30% na B3.

Gol: No meio de uma das maiores crises do setor aéreo global, a Gol (GOLL4) anunciou uma nova tentativa de incorporar as ações da Smiles (SMLS3), companhia de fidelidade de capital aberto e que tem a aérea como principal parceria e acionista majoritária. Na avaliação de especialistas, a movimentação da Gol veio em um momento mais favorável para o negócio, uma vez que a diferença entre os papéis está longe do que costumava ser em 2018.

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.