Press "Enter" to skip to content

IFIX tem alta moderada com cautela antes de reunião do Copom

O mercado de fundos imobiliários opera com cautela aguardando a reunião do Copom (Foto: Freepik)

Índice de Fundos de Investimento Imobiliário (IFIX) da B3 operava em alta moderada, em meio ao clima de cautela predominante no mercado brasileiro, antecipando a semana de reuniões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos. O índice fechou em queda de 0,10% na quinta-feira (16), aos 2.728 pontos.

Os investidores não fazem grandes aportes no mercado imobiliário nesta sexta-feira (17), uma vez que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) se reunirá na próxima semana, entre os dias 21 e 22, para decidir sobre a elevação da taxa Selic. Apesar das últimas declarações do presidente do BC, Roberto Campos Neto, indicarem que não haverá mudança expressiva na trajetória de alta dos juros, investidores preferem aguardar a decisão formal do comitê.

O problema da perda de atratividade por parte dos fundos imobiliários em meio à alta dos juros e a consequente melhora da rentabilidade dos títulos públicos segue inviabilizando uma retomada mais vigorosa do mercado de fundos imobiliários, que deve viver momentos de incerteza até que o ciclo de alta da Selic seja encerrado.

Destaques

O Brazil Realty (BZLI11), fundo híbrido, liderava as altas do IFIX, subindo 4,36%, aos R$ 16,50. O XP Corporate Macaé (XPCM11), fundo proprietário de um imóvel corporativo localizado em Macaé, no Rio de Janeiro, exibia a segunda maior alta, com valorização de 2,02%, sendo negociado a R$ 27,22. A terceira maior valorização era do Kinea Renda Imobiliária (KNRI11), fundo que investe em imóveis logísticos e lajes corporativas, que subia 1,36%, sendo cotado a R$ 142,97.

Na outra ponta, a maior queda era do Kinea High Yield CRI (KNHY11), fundo de papéis, que perdia 2,41%, sendo negociado a R$ 109,40. A segunda maior desvalorização era do REC Renda Imobiliária (RECT11), que investe em lajes corporativas e empreendimentos comerciais, recuando 1,71%, sendo cotado a R$ 72,03. Por fim, a terceira maior desvalorização era do More Real Estate FOF (MORE11), fundo de fundos, que recuava 1,66%, sendo cotado a R$ 78,80.

Ao fim da manhã, o IFIX subia 0,10%, aos 2.730 pontos.

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *