Press "Enter" to skip to content

Bolsas de NY fecham em leve alta, após inflação e à espera de Fed

Nesta sexta-feira, as bolsas de NY fecharam perto da estabilidade (Foto: Predrag Kezic/Pixabay)

As bolsas de Nova York fecharam perto da estabilidade nesta sexta-feira, com o mercado ainda repercutindo a publicação da quinta-feira do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) acima do esperado em maio nos Estados Unidos. Na próxima semana, a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e as posturas indicadas pelo banco central serão observadas atentamente. Impulsionados ao final do pregão, o S&P 500 renovou seu recorde de fechamento e o Nasdaq encerrou com sua máxima do dia.

O índice Dow Jones avançou 0,04%, aos 34.479,60 pontos, enquanto o S&P 500 teve alta de 0,19%, aos 4.247,44 pontos, renovando o recorde histórico de fechamento pelo segundo pregão consecutivo, e o Nasdaq subiu 0,35%, aos 14.069,42 pontos. Na comparação semanal, houve recuo de 0,80%, avanços de 0,41% e de 1,85%, respectivamente.

Seguindo o dado de inflação publicado na quinta-feira no país, há avaliação de que o índice está aumentando devido aos problemas da cadeia de suprimentos e aos gastos reprimidos do consumidor, “que devem começar a diminuir no final do verão”, aponta Edward Moya, da Oanda. “As próximas sessões de negociação provavelmente verão um posicionamento modesto à frente do comitê de política monetária do Fed, com os investidores fixando-se sobre como as discussões sobre a redução começarão”, projeta Moya.

Neste cenário, os papéis de farmacêuticas registraram alguns dos principais movimentos nas bolsas. As ações da Vertex Pharmaceuticals tiveram uma das maiores quedas da sessão, 10,96%, depois que a empresa interrompeu o desenvolvimento de um medicamento que trataria uma doença genética. Após a notícia, uma série de bancos reduziu o seu preço de recomendação de compra para as ações da empresa.

Já os papéis da Biogen recuaram 4,36%, depois de dispararem na semana seguindo recomendação positiva da agência reguladora dos EUA (FDA) sobre seu medicamento contra Alzheimer. No entanto, membros do painel responsável pelo aval vem abandonando o cargo, no que é visto como indicativo de controvérsia sobre a decisão.

Entre as ações alvos de especuladores de varejo em 2021, a AMC teve forte alta, 15,39%, sendo uma elevação no crédito da empresa um dos motivos apontados. Depois de um forte recuo na quinta, a GameStop recuperou parte das perdas, e teve alta de 5,88%.

Por Matheus Andrade

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *