Press "Enter" to skip to content

Plantão News: Ibovespa cai pela 4ª vez; IRB, Gafisa, Vale, Braskem em foco

FGV: ICE da América Latina fica em +70,5 pontos no 1º trimestre (Foto: Shutterstock)

O Ibovespa continua em baixa na tarde desta sexta-feira, oscilando na faixa de 116 mil pontos, acompanhando a aversão ao risco generalizada nos mercados internacionais diante do avanço da pandemia de Covid-19. É a quarta queda seguida do principal índice de ações da B3.

A seguir, leia os principais destaques corporativos do pregão desta sexta-feira:

Gafisa: A Gafisa (GFSA3) informou que retomará a divulgação de suas projeções de lançamentos, visando dar mais visibilidade e fornecer informações sobre a estratégia da companhia. A previsão para 2021 é lançar um VGV (valor geral de vendas) entre R$ 1,5 bilhão a R$ 1,7 bilhão. As ações da Gafisa avançam 3,58%, cotadas a R$ 4,34.

IRB Brasil: Depois de prejuízo líquido de R$ 23,8 milhões em outubro, o IRB Brasil (IRBR3) apurou um prejuízo líquido de R$ 124,5 milhões em novembro de 2020. Com isso, a perda acumulada no bimestre totalizou R$ 148,3 milhões. As ações do ressegurador IRB Brasil (IRBR3) recuavam 7,11%, a R$ 7,06.

Ambev: A Ambev (ABEV3) fechou mais uma parceria para a compra de mil vans e caminhões elétricos, desta vez com a Fábrica Nacional de Mobilidade (FNM), startup criada no ano passado. A produção será feita em área exclusiva na fábrica da Agrale em Caxias do Sul (RS), com quem a empresa tem contrato de cooperação técnica. As ações da Ambev caíam 2,95%, cotadas a R$ 15,15.

Vale: A Vale (VALE3) retomou a produção de pelotas na pelotizadora de Vargem Grande, em Nova Lima (MG), que estava paralisada desde fevereiro de 2019. Com capacidade de 7 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, a planta tem projeção de produção de cerca de 4 milhões a 5 milhões de toneladas de minério de ferro em 2021. Além disso, terminou frustrada a tentativa de acordo entre a mineradora, o Estado de Minas Gerais e instituições como o Ministério Público e a Defensoria Pública na bilionária ação civil pública do caso Brumadinho. As partes não chegaram a um consenso em relação a valores. Os papéis da companhia tinham queda de 1,22%, cotados a R$ 92,22.

Braskem: A Braskem (BRKM5) selou contrato de compra de energia renovável junto à Casa dos Ventos, em linha com a estratégia de ampliação no uso de matrizes energéticas limpas em suas operações industriais. Além da compra de energia, o acordo prevê a opção de a Braskem adquirir uma participação nos parques eólicos, visando autoprodução. Os papéis da Braskem recuavam 3,14%, a R$ 24,05.

Wiz: O Grupo Caoa segue ampliando sua atuação em novos negócios e anunciou a criação da Caoa Seguros, que vai atuar no segmento em parceria com a Wiz (WIZS3), maior companhia do País no ramo de produtos financeiros e distribuição de seguros, com carteira de mais de 100 mil veículos e faturamento anual de R$ 1 bilhão. As ações da Wiz sobem 1,56%, a R$ 7,80.

PetroRio: A empresa de óleo e gás PetroRio (PRIO3) informou que a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou a cessão da participação de 30% do Campo de Frade, atualmente detida pela Petrobras (PETR4), para a PetroRio. A PetroRio passará a deter 100% do Campo de Frade. As ações da PetroRio caíam 3,13%, a R$ 71,95.

Volkswagen: A Volkswagen informou que seu resultado operacional antes de itens especiais será significativamente mais baixo em 2020, segundo números preliminares. A montadora alemã disse que o lucro operacional antes de itens especiais, que são relacionados ao escândalo do diesel da empresa, deve ficar em cerca de 10 bilhões de euros (US$ 12,17 bilhões) para 2020. Em 2020, esse lucro operacional havia sido de 19,3 bilhões de euros. A montadora projeta fluxo de caixa líquido de cerca de 6 bilhões de euros.

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *