Press "Enter" to skip to content

XP elege 2 ações para lucrar na Bolsa com moda disruptiva em 2021

Analistas esperam mudanças na forma de se vestir após o fim do isolamento social (Foto: Divulgação)

A equipe de análise da XP Investimentos recomenda “compra” para as ações de Grupo Soma (SOMA3), C&A (CEAB3) e Vivara (VIVA3) na B3, em uma perspectiva construtiva para o setor de vestuário e joias, na esteira da recuperação econômica no ano que vem.

—> Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito, todos os dias, em seu e-mail

Mais do que isso, na visão dos analistas, o grupo de moda Soma, dono de marcas como Farm e Animale, e a varejista de moda C&A estão bem posicionados para aproveitar o momento de “moda disruptiva”, que costuma suceder crises e períodos prolongados de isolamento social.

“Examinamos como foram as tendências de moda após outras crises (principalmente em períodos pós-guerra), quando as pessoas também enfrentaram períodos prolongados de quarentena e/ou desafiadores e descobrimos que eles foram seguidos por momentos em que a moda disruptiva se destacou, com cores fortes e coleções diferentes como protagonistas”, diz relatório assinado por Danniela Eiger, Marco Nardini e Thiago Suedt.

É por isso que os analistas elegem as ações do Grupo Soma e da C&A como as preferidas do setor na Bolsa, chamando a atenção também para o espaço para consolidação e para a “digitalização dos consumidores” também no segmento de vestuário.

Preços-alvo

O trio da XP calcula um preço-alvo de R$ 17 ao fim de 2021 para as ações do Grupo Soma (potencial de ganhos de cerca de 30%), apostando em oportunidades de fusões e aquisições e crescimento orgânico.

A equipe da XP estipula um preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 18 para as ações da C&A, o que representa um potencial de alta de cerca de 35%, diante do “espaço para um ‘re-rating’ conforme a empresa entrega ganhos de eficiência operacional nos próximos anos”.

Vivara

No caso da líder do segmento de joias Vivara, os analistas estão retomando a cobertura estimando um preço-alvo de R$ 33 ao fim de 2021, o que sugere um potencial de ganhos de mais de 25%. Eles apostam em consolidação do mercado por meio do poder da marca e apontam para a penetração no segmento de classe média.

“Nós vemos a estratégia da Vivara de alavancar suas operações para clientes da classe média através da marca Life como positiva”, escreve o time da XP, que lembra a possibilidade de a Vivara lançar uma nova marca no médio prazo.

Lojas Renner

A equipe de análise da corretora também retomou a cobertura dos papéis de Lojas Renner (LREN3), com sugestão “neutra” e preço-alvo de R$ 53 para o fim do próximo ano – o que representa um potencial de ganhos de cerca de 20%.

E é justamente o potencial de alta inferior aos demais nomes que fundamenta a recomendação “neutra”. “Vemos a empresa como um player de alta qualidade, com sólidas perspectivas de crescimento por meio da expansão de lojas, do segmento de serviços financeiros e de iniciativas digitais/omni recentes.” 

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *