Press "Enter" to skip to content

Ações de Klabin e Suzano avançam com alta da celulose na China

Klabin levanta recursos com títulos verdes para pagar outras dívidas (Foto: Divulgação)

As ações do setor de papel e celulose se destacam nesta sexta-feira (27) na B3 em meio à valorização nos preços da celulose de fibra curta na China nesta semana, agora oscilando na faixa de US$ 460 a tonelada.

Tudo que você precisa saber sobre o mercado, todos os dias, em seu e-mail

Nas contas da equipe da XP Investimentos, os níveis atuais de preços da commodity estão abaixo do custo marginal (US$ 500 a tonelada) e, portanto, não são sustentáveis no longo prazo.

“Adicionalmente, esperamos que uma recuperação da demanda na China seja gatilho para um movimento de recomposição de estoques”, dizem os analistas da corretora em nota a clientes.

Por volta de 11h10 (horário de Brasília) na B3, as units da Klabin (KLBN11) se valorizavam em 3,6%, cotadas a R$ 24,82. No mesmo instante, os papéis da Suzano (SUZB3) subiam 5%, a R$ 56,07.

Klabin 

O mercado também repercute nesta sexta-feira a aprovação pelos acionistas da Klabin da incorporação da Sogemar e o fim do pagamento de royalties sobre o uso da marca “Klabin”.

“A notícia é positiva para a Klabin, efetivando a melhora na governança corporativa de maneira definitiva na companhia, tirando de seu balanço um contrato que, a nosso ver, representa um dividendo disfarçado exclusivo para os acionistas controladores”, avalia a equipe da casa de análise de investimentos Levante.

A XP tem recomendação de “compra” para Klabin, com preço-alvo de R$ 32.

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.