Press "Enter" to skip to content

França e Tatto buscam base evangélica em vez de cúpula


Os candidatos à Prefeitura de São Paulo Marcio França (PSB) e Jilmar Tatto (PT) adotaram a estratégia de dialogar diretamente com as bases das igrejas, em vez das cúpulas, na garimpagem pelos votos do eleitorado evangélico paulistano.

Ontem, França recebeu apoio de 500 líderes religiosos de igrejas como Assembleia de Deus, Universal, Presbiteriana e Batista em ato pluripartidário realizado no Parque São Jorge, no Tatuapé, zona leste. Tatto assinou uma carta de compromisso com os evangélicos em um ato na quadra do Sindicato dos Bancários.

Os dois ocupam respectivamente a quarta e quinta colocações, segundo o Ibope. Os evangélicos representam cerca de 30% do eleitorado brasileiro.

“Cada um deles têm duas, três, cinco, oito, dez igrejas… Não são os grandes. Os principais líderes nacionais e estaduais já têm seus candidatos a vereadores e têm vínculo com o governo do Bruno (Covas, atual prefeito)”, afirmou França, sobre sua aproximação com os líderes religiosos.

Tatto assinou uma carta de compromisso articulada pelo Movimento de Evangélicos e Evangélicas em apoio à sua candidatura. A ideia é mostrar que o legado do PT na cidade atende a diversos pontos da pauta evangélica. Segundo a carta, realizações como o Bilhete Único, corredores de ônibus e o Programa Almoço e Janta atendem aos valores cristãos como a valorização da família. “Buscamos estabelecer um diálogo através de programas que têm a preocupação com a família como centro”, disse o coordenador da campanha, Laércio Ribeiro.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Por Ricardo Galhardo e Paula Reverbel