Press "Enter" to skip to content

Rumo renova concessão da Malha Paulista

(Foto: Divulgação)

Foi assinado na última quarta-feira (01) no Ministério da Infraestrutura, sob o comando de Tarcísio Freitas, a autorização para que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) renove, de forma antecipada e por mais 30 anos, o contrato de concessão da Malha Paulista, operado pela Rumo Logística.

Os investimentos estimados para a ferrovia são de R$ 4,7 bilhões que serão utilizados para expansão da capacidade de oferta atual de transportes além de melhorias.

A ferrovia é responsável pelo escoamento de grande parte da produção agrícola do estado do Mato Grosso do Sul até o seu destino final – o Porto de Santos. Entre as principais commodities transportados estão milho, soja e farelo de soja, óleo diesel e açúcar. A produção provém de grandes clientes como Bunge, Amaggi, Cargill, ADM e Louis Dreyfus.

A notícia é positiva para a Rumo Logística, empresa operadora da concessão da Malha Paulista, visto que a antecipação da renovação da concessão permite à empresa realizar investimentos com muito mais segurança e previsibilidade.

Analistas apostam em impacto positivo no preço das ações (RAIL3) no curto prazo, muito embora a notícia não seja “novidade” e já era dada como certa, com expectativas apenas quanto a confirmação final, visto que as negociações começaram ainda em 2015, sob o governo Dilma Rousseff. No médio e longo prazo, a renovação significa aumento do valor para o acionista da Rumo.

As operações ferroviárias da Rumo são distribuídas em cinco concessões: 1) Malha Sul, com 7.208 quilômetros; 2) Malha paulista, com 2.039 quilômetros; 3) Malha Oeste, com 1.951 quilômetros; 4) Malha Norte, com 735 quilômetros e 5) Malha Central, com 1.537 quilômetros. Esta última se encontra em fase pré-operacional.

Com os investimentos, a companhia espera propiciar ganhos relevantes com aumento da capacidade de transporte da Malha Paulista, passando dos atuais 35 milhões de toneladas para cerca de 75 milhões de toneladas ao ano. O plano de investimento inclui duplicações de trechos, ampliação de pátios, modernização de via além da aquisição de 196 locomotivas e de 2.575 vagões.