Press "Enter" to skip to content

Lucro da Kepler Weber aumenta 97,7% no 1º tri para R$ 17,2 milhões

Lucro da Kepler Weber aumenta 97,7% no 1º tri para R$ 17,2 milhões (Foto: Divulgação)

A Kepler Weber, líder no mercado de equipamentos para armazenagem de grãos, obteve lucro líquido de R$ 17,2 milhões no primeiro trimestre deste ano, aumento de 97,7% ante os R$ 8,7 milhões apurados em igual período do ano passado, informou na quarta-feira a companhia. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 32,9 milhões, 88% mais do que um ano antes. A receita líquida da companhia cresceu 85,3% na mesma comparação, para R$ 236,2 milhões. A margem líquida atingiu 7,3%, aumento de 0,4 ponto porcentual na comparação anual.

Em comunicado sobre os resultados, a empresa destacou a melhora da atividade econômica relacionada ao agronegócio, que começou no segundo semestre de 2020. “As condições macroeconômicas favoráveis como commodities agrícolas em alta, real depreciado e clientes com maior poder econômico, alavancaram o desempenho da companhia em praticamente todos os nossos negócios, com maior destaque para o segmento de armazenagem”, disse a Kepler.

No primeiro trimestre, o mercado interno representou 90% da receita líquida, e o externo, 10%, contra 88% e 12%, respectivamente, um ano antes. A receita líquida do segmento de armazenagem da Kepler Weber no primeiro trimestre de 2021 cresceu 119,9% em relação a igual período do ano passado, para R$ 170,7 milhões. Segundo a empresa, o incremento “é reflexo da boa carteira de pedidos construída no segundo semestre de 2020, somada às condições macroeconômicas favoráveis e ao real que se mantém depreciado”.

Já a receita de exportações subiu 53,6% na mesma base de comparação, para R$ 23,1 milhões. De acordo com a Kepler, o crescimento foi motivado pela apreciação do dólar ante o real e por novos negócios em países da América do Sul, como Paraguai, Peru e Uruguai.

O segmento de movimentação de granéis sólidos (MGS) teve receita líquida de R$ 10,4 milhões, redução de 28,1% ante o primeiro trimestre de 2020. A Kepler disse que a queda se deve à “sazonalidade nos volumes de faturamento, normal nesta área de negócio, onde as vendas são de grandes projetos que alternam períodos de alta e baixa concentração de faturamento”.

Já reposição e serviços (R&S) gerou R$ 31,8 milhões em receita líquida, aumento de 57,4% na comparação anual. Segundo a Kepler, o aumento é “resultado da estratégia adotada para essa unidade de negócio, que traz recorrência nas receitas da companhia”. Com os centros de distribuição, há oferta de peças e serviços em locais estratégicos, disse. A Kepler destacou que a abertura do quinto centro de distribuição em Cuiabá, em julho de 2020, contribuiu para esse crescimento.

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *