Press "Enter" to skip to content

Analistas apostam em fundos imobiliários de recebíveis contra incertezas em abril

Sem perspectiva de reabertura plena da economia, analistas apostam em fundos tidos como mais resilientes em abril (Foto: Freepik)

Após desvalorização de 1,38% do IFIX (índice de investimentos imobiliários da B3) em março, quando diversos fundos foram impactados por medidas restritivas de combate à pandemia de Covid-19, analistas adotam uma postura de cautela em suas carteiras de fundos imobiliários (FIIs) para abril, apostando em fundos de recebíveis imobiliários, que seguem se beneficiando da alta da inflação, mas sem abrir mão da estabilidade dos fundos de logística.

Os fundos de recebíveis aparecem como opções interessantes por serem normalmente compostos por papéis ajustados por índices de preços, em especial pelo IGP-M e IPCA, que vêm acumulando altas expressivas. Já os fundos de logística continuam atraentes pela sua estabilidade e resiliência, porém, de acordo com analistas, muitos fundos desse setor estão sendo negociados acima de seu valor patrimonial.

Além disso, os analistas seguem prezando pela diversificação em suas carteiras recomendadas, atentos à possibilidade de ganho de capital nos setores mais afetados pelo isolamento social, como shoppings e lajes corporativas. Com a determinação de fechamento de todos os serviços considerados não essenciais em diversos estados e municípios em decorrência do agravamento da pandemia, os fundos ligados a esses setores sofreram um novo baque e voltaram a cair.

Recomendações

Assim, o Mercado News comparou as carteiras de fundos imobiliários de 4 corretoras (Ativa, Guide, Necton e Santander Corretora) para compreender quais as tendências para esse mercado no mês de abril.

Mesmo com o momento promissor para os fundos de CRI, aquele que se mostrou unanimidade em termos de indicações foi o TRX Real State FII (TRXF11), do segmento de renda urbana, aparecendo em todas as carteiras analisadas. Analistas da Guide destacam que, apesar de apenas 15% dos ativos da carteira do TRXF11 estarem alocados no segmento de logística, enquanto os outros 85% estão alocados no setor de varejo alimentício, todos os contratos deste fundo são atípicos e de longo prazo. Os locatários do fundo são Assaí (correspondendo a 40,2% da receita), Pão de Açúcar (35%), Extra (14,7%), Sodimac (5,1%) e Camil (4,8%).

Outros 2 fundos que também se destacam, com 3 recomendações cada, são os fundos de logística BTG Pactual Logística (BTLG11), recomendado por Ativa, Guide e Santander, e Vinci Logística (VILG11), recomendado por Guide, Necton e Santander.

A seguir, veja as carteiras recomendadas de FIIs de 4 corretoras para abril:

Ativa

Guide

Necton

Santander Corretora

Siga o Mercado News no Twitter e no Facebook e assine nossa newsletter para receber notícias diariamente clicando aqui.

Seja o primeiro à comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *